Anitta não paga dívida e sofre bloqueio de quase R$ 3 milhões

Caloteira? O fato é que Anitta já foi derrotada na Justiça algumas vezes nos últimos anos e não quis pagar o determinado em acordo. Agora, a Justiça deve bloquear quase 3 milhões da cantora.

A decisão de bloqueio atende ao pedido da defesa de Kamilla Fialho, que deixou de agenciar a cantora em 2014, quando ela tinha deixado há pouco tempo de ser MC Larissa. Kamilla acusa a cantora de não pagar a multa estipulada por rescisão de contrato quando o vínculo profissional entre as duas terminou.

Mas nada foi bloqueado da carioca ainda, pois em até 48h, o Banco Central irá responder se há fundos nas contas da cantora para que o valor seja depositado em uma conta judicial. será que ela ‘zerou’ as contas já prevendo esta derrota?

Vale dizer que meses atrás, em março, a Justiça negou o segundo recurso de cantora no processo. Desde então, Anitta pediu a suspeição da juíza Flavia Viveiros de Castro, responsável pelo caso, que também foi rejeitada no TJ-RJ. Ou seja: várias derrotas seguidas.

De acordo com o advogado de Kamilla, Leonardo Gomes, o valor da causa pode passar de R$ 30 milhões. Além da indenização, a empresária pede que seja ressarcida pela quantia que deixou de ganhar com o contrato interrompido.

Com informações de Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Justiça determina que Anitta deposite R$ 3 milhões para ex-empresária

Anitta e a ex-empresária Kamilla Fialho brigam na Justiça desde 2014, quando a cantora decidiu gerenciar a própria carreira

Anitta perdeu um round na batalha judicial com sua ex-empresária, Kamilla Fialho. Nesta terça-feira (13), a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio decidiu, por unanimidade, que Anitta deve depositar imediatamente R$ 3 milhões na conta de Kamilla, proprietária da produtora K2L. Caso a cantora não deposite o dinheiro nos próximos dias, ela terá seus bens bloqueados.

Essa decisão se refere ao segundo recurso que a Anitta entrou contra a ex-empresária, em um processo que pedia o bloqueio de seus bens em favor da K2L. Em 2017, Anitta já havia perdido no TJ e, agora, três juízes deram o parecer a favor de Kamilla, que acusa Anitta de não pagar a multa estipulada por rompimento de contrato em agosto de 2014.

Anitta rompeu contrato alegando quebra de cláusula contratual, ao acusar a empresária de desviar R$ 2,5 milhões.

“Mais uma vitória da minha cliente, a K2L. Ela já tinha perdido na decisão anterior e recorreu a um colegiado, que ratificou o que já vinha sido estipulado. Agora, Anitta tem que depositar o que foi estipulado. Os advogados podem até recorrer em Brasília [no STF], mas essa decisão não suspende o que foi determinado. Ela vai depositar os R$ 3 milhões, que serão somados aos R$ 4 milhões já depositados. Além desse montante, há uma diferença de R$ 7 milhões para os R$ 14 milhões, valores de hoje, que estamos cobrando como indenização pela quebra do contrato e que ainda vamos continuar discutindo “, explicou o advogado Leonardo Gomes ao UOL.

Leonardo revelou que sua cliente ainda pretende cobrar por perdas e danos pelo contrato interrompido. “Anitta ainda tinha cinco anos de contrato a cumprir e o interrompeu sem acordo. Isso fez a minha cliente perder dinheiro já investido. Pelas minhas contas, esse valor ultrapassa os R$ 30 milhões”, calcula o advogado.

A assessoria de Aniitta informou que o agravo julgado nesta terça-feira foi feito antes da defesa da cantora entrar com duas suspeições e uma representação no Conselho Nacional de Justiça diante da suspeita de parcialidade da juíza responsável por este processo. O comunicado também diz que: “Com tais fatos novos, o processo e, por sua vez qualquer decisão dele, encontra-se suspenso até o julgamento destas suspeições.”