TEATRO | Espetáculo infantil A Máquina de Voar, de Phil Porter, estreia dia 12 de agosto no Sesc Belenzinho 

A vida não é muito divertida para as duas crianças presas na Ala Infantil do Hospital Sta. Ruth Dos Olhos Machucados. Até a chegada de um novo menino que logo lidera uma rebelião no hospital contra o severo regime disciplinar da Enfermeira Maristela. Munido de um misterioso manual de instruções e um destemido plano de fuga, ele deixa a vida na ala de cabeça pra baixo. Repleto de risadas e cheio de ação, A Máquina de Voar é uma peça sobre feitos heróicos, conspirações desprezíveis e atos de incrível bravura.

Texto de Phil Porter com tradução de Ricardo Estevam tem direção de Eric Nowinski. No elenco estão os atores Tutti Pinheiro, Ricardo Estevam, Thomas Huszar e Mariana Melgaço. A temporada é de 12 de agosto a 10 de setembro no Sesc Belenzinho.

A Máquina de Voar é uma peça sobre o poder da imaginação para transcender os limites que a realidade impõe a todos nós. Na ótica sensível das crianças Pina e Munib, o faz de conta proposto por Bonyek é a válvula de escape ao condicionamento opressivo imposto pela enfermeira Maristela, em nome de uma instituição – o Hospital para “olhos machucados”. A parábola da obstrução e cura da visão explicita o embate entre o imaginário e o real; entre a concepção de mundo da criança e do adulto. Não à toa, a superação destas contradições se dá através de um artefato mágico, a “Máquina de Voar”, que dá nome à peça.

“Para realçar este aspecto central, potencializamos através dos recursos teatrais (iluminação, trilha sonora e projeções) a transição do ambiente convencionado como “real” (um quarto de hospital bastante insólito) para os espaços imaginários, aos quais as crianças (e posteriormente a própria enfermeira Maristela) serão conduzidos por Bonyek. Aventura, suspense, amizade e algum humor nonsense, característico da dramaturgia inglesa, são alguns dos ingredientes que credenciam a montagem” conta o diretor Eric Nowinski.

Sobre o texto

“Pra que brincar de fingir, se depois que a brincadeira termina, você volta pro mesmo mundinho chato de sempre? Não vale a pena levar uma bronca ou ficar de castigo só por isso”. Ou vale?

Com essa provocação, o personagem Bonyek faz com que sentimentos há muito adormecidos em Pina e Munib, seus companheiros de internação, sejam irreversivelmente despertados. Crianças confinadas em um lugar imundo e monótono, vivendo em um regime disciplinar cheio de restrições disfarçadas de cuidados, onde a maldade se esconde atrás do carinho e da preocupação da implacável Enfermeira Maristela. É com esses personagens repletos de contradições e graça que o autor Phil Porter constrói um mundo frio e cinzento onde só a imaginação é capaz de soltar as amarras que prendem as crianças à essa realidade e levantar voo para longe dali.

Serviço Blog Quintal da Alegria

Teatro do SESC Belenzinho

R. Padre Adelino, 1000 – Belenzinho, São Paulo – SP, 03303-000

De 12 de agosto a 10 de setembro – sábados e domingos às 12h. Sessão extra dia 07 de setembro às 12h.

Ingressos: INTEIRA 20,00 / USUÁRIO MIS 10,00 / MEIA 10,00 / CREDENCIAL PLENA 6,00

Compre nas bilheterias do Sesc ou acesse:

https://www.sescsp.org.br/unidades/25_BELENZINHO

Anúncios