“Ela tem mania de achar que tem sempre algo conspirando contra ela”, diz ex-marido de Najila ao Fantástico

Domingo, nove de junho. O Fantástico começa com um escândalo que virou o assunto número do país esta semana: Neymar Júnior e Najila Trindade. A promessa de um encontro amoroso em Paris que virou caso de polícia. 

As redes sociais se exaltaram.

“Fui ameaçado através da minha rede social, ameaçado de morte dizendo que se o Neymar não jogar a Copa América eu ia ser morto”, conta o Estivens Alves, ex-marido da mulher que acusa Neymar de estupro.

Essa história começou no primeiro dia de Junho. Neymar treinava para a Copa América, mas as manchetes esportivas diziam que ele tinha caído em uma armadilha. 

Foi essa a frase que o pai do jogador usou para divulgar que uma moça, sem ainda citar o nome de Najila Trindade, havia registrado um boletim de ocorrência acusando Neymar por estupro. Na véspera Najila tinha ido a uma delegacia da mulher, em São Paulo, para fazer o B.O. No documento, ela conta que o encontro com Neymar aconteceu em Paris, onde o jogador mora. O pai de Neymar afirmou também que o craque estava sendo vítima de extorsão por um advogado de Najila. 

No dia seguinte, domingo (2), o próprio Neymar usou suas redes sociais para se defender. A troca de mensagens entre os dois tinha começado em fevereiro. No mesmo vídeo, Neymar divulgou mensagens trocadas desde março com Najila. “Eu sou a presa querendo um caçador”, ela escreveu em uma delas. Em outra, Neymar convidou: “vem pra Paris”. E mais adiante: “posso te ajudar nisso”. No dia 14 de maio, ela foi e se hospedou no quarto 203 de um hotel.

No dia 2 de junho, na concentração da seleção brasileira, no Rio, a polícia procurou Neymar porque ao se defender em sua rede social, ele divulgou imagens pessoais de Najila. Mas era folga dos jogadores e Neymar não estava lá.

Anúncios